Seu modo de vender corresponde ao novo perfil de consumidor?

Você já teve a impressão de que a todo tempo o mercado está comentando sobre um novo perfil de consumidor? Isso realmente acontece. As mudanças na maneira e nas preferências de compra estão cada vez mais frequentes e as empresas precisam adequar a forma como vendem para continuarem gerando lucro e valor.

Os especialistas em marketing são os primeiros a buscarem as pesquisas de tendências de consumo, para maximizarem a assertividade das ações. Aqui, vamos falar de algumas das citadas na pesquisa Consumidor Ultradinâmico feita pela consultoria britânica WGSN.

Tudo é feito pelo smartphone

Sem perda de tempo, sem burocracia e com pouca interação física, as compras (ou a decisão por elas) são feitas na palma da mão. A pesquisa prévia em diversos sites e a busca por opiniões seguem sendo os primeiros passos do consumidor, seguido da busca por atendimento online.

É preciso saber atender sem parecer invasivo na oferta e deixar que o consumidor mantenha o controle. Ou seja, a empresa deve estar disposta a oferecer informações e a facilitar o processo de venda, para que o cliente se sinta à vontade para fazer sua escolha.

Cresce ainda mais a aposta em atendimento personalizado, chatbots e grupos exclusivos para clientes. Tudo acontece ali no smartphone e, mesmo em lojas físicas, a tendência é que a pessoa já chegue com tudo pronto para a compra.

Conexão humana e confiança na marca

Chega a ser engraçado perceber que na medida que a tecnologia de inteligência artificial cresce, as pessoas também passaram a buscar mais conexões humanas. Por isso, as empresas estão personificando suas marcas, como é o caso da Lu, que se tornou uma influenciadora virtual que interage com o público em nome do Magazine Luiza.

O consumidor passa a buscar algo que o represente. Vai muito além de uma troca comercial, é uma questão de identificação de valores. É essencial desenvolver estratégias que deixem 3 pontos claros: o quanto a marca é confiável, como ela é capaz de promover e defender as bandeiras do seu público e a comprovação da transparência de suas atitudes.

A experiência vale mais que a posse

A economia compartilhada é uma forte característica do novo perfil de consumidor. Podemos citar como exemplo o crescente uso das bicicletas compartilhadas, os aplicativos de carona e de aluguel de casas para pequenas temporadas. Não há mais uma forte necessidade em ter, mas sim, em viver a experiência ou resolver um problema. Neste cenário, as empresas se empenham em transformar o ato de comprar em um momento de experiência para a vida do consumidor. Ele estará pagando pela vivência.

Se quiser dicas de como o seu negócio pode se adequar ao esse novo perfil de consumidor, é só falar com a gente!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *